BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Puta sem nome


“Amar alguém que não possuímos ou amar um ser que perdemos é preservar na alma um segredo infinito, uma dor imensurável que só a nossa morte nos desvenda e tranquiliza!”

JC




Foi parida e engendrada num lago enlameado de ilusões e desde cedo que beijou a fome e afagou o desanimo.

Ela é bonita sem ser uma mulher pulcra na sua integridade. Possui uns olhos rasgados que parecem flutuar com o movimento ondulante do corpo. Igualmente dona de uns lábios carnudos exala a ânsia crua e a lava incandescente que inunda de forma esbraseada qualquer coração menos atrevido.

Prostituta de rua deambula pela cidade que ferve por entre os dentes das horas tardias.

Desfila numa ‘passerele’ de asfalto, sem nome, cor, ou aplausos.

Ensaia gestos, movimentos apelativos com as ancas bem torneadas e os seios hirtos. Os lábios cor de fogo corados de batom reles emanam um misto de prazer e náusea.

As esquinas que habita são abrigos armadilhados, consumidos pela escravidão e pelo medo. São as esquinas da rua dos dias que passam.

Ao longe, numa falsa timidez, tem no olhar as primaveras que não viveu. Há no ar um perfume, um desejo ou a memória de um sonho...

Acorda todas as manhãs num vazio sem amparo, numa solidão sem nome. Doce, quase humana, olha a tarde em busca de um milagre que não acontece.

A blusa transparente ondula, a minissaia convida...

Tem uma voz fraca, doces e densos, os olhos parecem húmidos. Espera impaciente em qualquer lugar a sombra dos seus pecados. Em algum lugar, a sua boca tece, ávida, o calor húmido e doce de alguém com hálito a mortalha barata.
Em algum lugar, o seu gemido cala o som de algumas traidoras consciências.

Em algum lugar, a sua dança extasiante, confunde o espaço e o tempo estagnados numa poça enlameada da uma vida deslustrada.

Em algum lugar, amor, paixão e sexo, não terão nenhum sentido.

Em algum lugar, será o imaginário de todos nunca imaginados. Luta sem tréguas uma batalha sangrenta pela paz do amanhã.

Mas, amanhã será o ontem esmagado, o rasto dos seus passos serão meras sombras no desalinho das emoções fugazes de uma hora. Galga os dias, afugenta as horas, abraça os instantes em despedidas com um corpo prostrado, com um rosto sem expressão.

Procura as marcas da sua presença e encontra somente fantasmas em agonia.

Cansada de amanhãs nascidos mortos, caminha na solidão sem nome, sem vida.

Hoje, mais do que ontem, sabe que ninguém escutará as suas súplicas. Vive paredes meias com a morte, sem ninguém que testemunhe a sua existência... Morre em cada lágrima o desespero do tempo... Resiste mais um instante, como quem ainda espera por alguém ou por alguma coisa...

Morre dentro de si a última memória daquilo que foi vida, morre dentro de si o último lugar onde acreditou em milagres...

Indiferente, a tarde cai, igual à última tarde... Sente que a sua solidão é o seu pior carrasco...

A noite chega, escura, quase morta... Contínua só, absolutamente só... Não sabe se está louca ou lúcida... Se ébria ou sóbria, se morta ou viva. Esquece-se dela, do seu nome...

Sabe que ninguém se lembrará de quem foi... Será simplesmente a puta do bairro, a tal que não tem ninguém, a tal que chora todas as noites...

Será apenas mais uma mulher sem história... Uma puta sem nome…

O lusco-fusco tomou já conta da cidade, as cores e as faces, são apenas silhuetas anónimas, sem alma e coração.

A rua estreita fica mais povoada, sombras atravessando sombras...

Acabou de negociar as entranhas. Negou mais uma vez sentir-se amada.

 

4 comentários:

Felipe Junior melo disse...

Estou aqui denovo comentando,por que adoro esse blog,bom demais,muito bom msm!!!!!!me recomendaram e até hj acompanho,mais ai queria tirar uma duvida sera que esse site é bom http://detetive-particular.com to precisando de fazer uma investigação hehe ? se alguem souber me falar,e continue com mais post!! fuuuuuuuuui

Anderson Silva disse...

Olá,nossa adoro esse blog,só tem artigo bom,sempre que dá estou passando aqui,depois que meu amigo me recomendo nunca mais deixei de visitar,alguem sabe me falar se assim aqui é bom www.softwarecelularespiao.org ? abraços,assim que der eu volto pra comentar aqui no blog

Momentos... disse...

Amei!

CrazyAboutElvis disse...

"Resiste mais um instante, como quem ainda espera por alguém ou por alguma coisa..." A esperança é como o universo, é infinito, assim que enquanto há esperança...
Lindo texto! É da sua autoria? Se não for pode dizer-me de onde o citou?
Se quiser visite o meu blog: crazyaboutelvis14.blogspot.pt
Obrigada