BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Alguém que me faz falta



Ontem senti-me triste. Hoje experimento uma sensação de amargo. E amanhã? Quem sabe aparente uma nostalgia.
Antes do amanhã, hoje vou tentar virar-me do avesso. Ver o interior de mim, respirar por todos os alvéolos dos meus carcomidos pulmões. Depois narrar para mim próprio a perpétua angústia que me acompanha há muito.
Volto a respirar fundo e agarro o ar com toda a força. Nos meus ouvidos um silêncio imponderável e agudo capaz de me rebentar os tímpanos.
Deixo fugir o ar, num esforço que leve com ele a tristeza que me enamora. Já não passo sem ela. Entre os meus lábios, uma muralha feita de espera. Vai-te com Deus.
Volto a engolir o ar frio que me resfria o corpo. Os olhos, marejados de sal sob o véu da ausência de alguém que me faz falta.
Uma insaciável fome de escorrer pelos contornos de alguém que me faz sentir carência. Uma enorme vontade de gritar até a voz me doer de rouquidão.
Existe em mim uma ferida aberta, sem sangue que me consome o corpo e a alma.
Ontem sentia-me triste, hoje um sabor a fel na boca.
Liberto-me do ar que me aprisiona. Corro para o jardim da minha concepção. Vejo árvores enormes vergadas pelo peso do tempo. Olho as papoilas vermelhas da cor da minha seiva.
Quero ser a abelha para em cópula colher o mel que existe no gineceu do teu corpo. Beber o mel no cálice do teu coração.
Transformar-me em vento sereno para te poder polinizar e dar-te o fruto gerado nos carpelos da minha imaginação.

2010-02-23

10 comentários:

Sonhadora disse...

Meu querido amigo
Lindo texto, acompanha-o a nostalgia e a solidão.

Existe em mim uma ferida aberta, sem sangue que me consome o corpo e a alma.

Como esta frase me diz tanto de mim.

Beijinhos
Sonhadora

Ana Isabel disse...

E que extraordinária prosa poética!

Solta as amarras..reinventa o azul..


Um abraço daqui.

Angel in the dark disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luz disse...

Mais um texto forte que denota a angústia que te tomou há muito.
Uma angústia que também sei sentir e, sinto. Sei que veio para ficar e, em mim vai sempre morar.

Como diz tanto de mim este sentir, esta angústia que teima em mim permanecer e, sem ela nem sei viver..., é como "alguém me faz falta"!

"Existe em mim uma ferida aberta, sem sangue que me consome o corpo e a alma". No entanto, em muitos momentos esta ferida sangra.

Bjo de Luz

Angel in the dark disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
catwoman disse...

transparece a solidão. A mim a angústia tem-me acompanhado a vida inteira, mas eu tento ignorá-la. A solidão... por vezes anseio por ela, não sempre, mas uns dias só para mim. Hoje acho que consigo sentir mais a irritação que a solidão, ou a angústia,como mostrei ontem... :)
Beijinho

Menina do cantinho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Milhita disse...

Boa noite amigo de desassossego. Sinto as palavras, como também eu lambo cada ferida que tarda em sarar e, neste turbilhão de emoções, sinto a vontade de encontrar as palavras que tantas vezes não chegam para esboçar o que sentimos.
Bom fim de semana.

Malu disse...

Meu querido, o que posso fazer para ajudar-te a curar, pelo menos um pouquinho, desta tua ausência e solidão?
Deixo-te um potinho de mel e umas gotas mágicas de presença.

Nietzsche já bem dizia que seremos eternamente sós.

Beijinhos

fotografias disse...

Essa solidao eu sinto a dois, doi mais do que só!